quinta-feira, 30 de julho de 2009

De fato

Envelheço,não só o corpo, não só o pensar, envelheço principalmente a alma. Foi-se o ânimo, a convicção, a vontade de lutar, e em seu lugar toma conta de mim a vida de cada um, a vida que será minha. Certa vez disse à um amigo meu ''querendo ou não nossa vida será essa; acordar às 6:00, trabalhar e chegar às 18:00'' e mais do que nunca, sinto isso mais perto de mim, começo a me acostumar, talvez até aceitar a condição de humano, humano comum, com uma vida comum, longe das poses heróicas e noitadas com estrelas de cinema, nada haver como imaginava o mundo aos 14.
É, o mundo não é mágico, tão pouco um rio de oportunidades que passa frente a sua janela e que lhe espera acordar pra ir vê-lo.
Envelheço, e na contra-mão de minha vitalidade vem a vontade de ter uma casa pequena em uma cidadezinha qualquer, com um jardim na frente e um quintal. Vejo ir embora também minha velha sina de querer sem um bom compositor, escrevo agora pelo prazer e por ser a única coisa que sei fazer. Foram embora as pretensões, os amores, os devaneios, a boemia e como dito, restou apenas e velha vontade de ver a vida passar na varanda de um casinha.

2 comentários:

  1. 'humano comum, com uma vida comum, longe das poses heróicas e noitadas com estrelas de cinema, nada haver como imaginava o mundo aos 14'.

    de longe, a maior realidade, mas de perto, o que a gente PENSA que sonha. No fundo, no fundo, só se quer amor e um pouco de paz.

    ResponderExcluir
  2. de fato.
    tudo isso é verdade.

    ResponderExcluir

Contador de visitas