segunda-feira, 31 de maio de 2010

Ela

Ela vive mais do que eu.
É. Ela sorri mais do que eu. Quando me lembro que ainda posso sorrir, me lembro que ela sorri mais.
Seus cabelos são mais soltos.
Seu andar é mais decidido.
Seus dedos são mais curtos. Meus dedos são longos demais. Dedos de quem gosta de versos.
Eu ainda vivo de versos. Ela simplesmente vive.
Ela tem um ''que'' de quem ama o que faz, ou de quem faz o que ama. Ela ama.
Eu não durmo de tanto cansaço, de tantos problemas. E me pergunto como ela dorme tão serena, apesar de tudo. Apesar do mundo.
Ela vive.
Ela dá as cartas. Toma a dianteira mesmo sem dizer um nada. Todos se calam quando ela abre a boca. Ela diz o certo na hora certa. Ela tem a resposta para tudo. Até mesmo para o que não sabe.
Eu ainda me pego pensando no ''e se''. Ela simplesmente faz.
Eu ainda me pergunto como, apesar de tudo, apesar de mim, ela ainda me ama.
Ela simplesmente me ama.

Um comentário:

  1. Texto lindo! Tão romântico... chega deu vontade de amar, apaixonar.

    ResponderExcluir

Contador de visitas